Pular para o conteúdo principal

Stilleto na GR

Assim como a ginástica rítmica tem grande proporção em estilo de dança e rítimo, o Stilleto também se adequa a mesma proporção, sendo que existe uma coisa que diferencia e é por esse seu nome o calçado de salto alto, que pode proporcionar maior altura, desempenho melhorado na flexibilidade, força dos pés, panturrilha e coxas, aumento de agilidade das pernas e muitos outros benefícios que essa dança moderna traz.

Porém também traz malefícios, não pela dança mas pelo calçado a ser usado pois a cada ano que você usa salto você perde sete anos de vida, pois gera desgaste ósseo, muscular e circulatório. Mesmo assim pode ser controlado através do tempo de uso do salto e tempo de prática. Veremos agora algumas fotos baseadas na ginástica rítmica com o uso do salto Stilleto.









Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tendência: Collants tipo Body

Uma tendência que foi estréia na ginástica rítmica e nos últimos anos voltou com tudo, foi os collants tipo Body, que é um leotard sem saia. A vantagem deste tipo de vestimenta dá mais liberdade e conforto durante a competição sem incomodar ou preocupar-se com os caimentos, até mesmo a limitação das pernas como se usasse um tipo macacão.


Ayrton Senna e a Ginástica Rítmica

Este ano completa 25 anos da morte do ilustríssimo corredor brasileiro Ayrton Senna, infelizmente o Brasil chorou e parou com a morte de uma pessoa incrível que ele era a ponto de causar uma paralização do Brasil com a sua história de vida.



Looks de Gr inspirados em personagens

Hoje vamos ver os leotards inspirados em personagens de filmes, que chamaram muito a atenção do público nesses últimos anos. Relembrando personagens icônicos e ídolos do cinema internacional que marcaram gerações que até hoje encantam jovens e crianças através da ginástica rítmica.

Começando pelo time da Hungria (HUN) a performance do conjunto sênior representa a Mulher Maravilha que é representada a performance através da música que foi trilha sonora do filme estreado em 2017.